Estresse x Hormonios

03/12/2014 09:30

 

          A forma como cada indivíduo reage externamente a situações estressantes é determinada quando ainda estamos  na barriga de nossas mães. Ao longo da vida percebemos que reagir de forma adequada a um evento estressante é imprescindível para a sobrevivência e mais ainda para a convivência harmoniosa. Algumas pessoas reagem de forma mais intensa por simplesmente serem desta forma, e daí, caso queiram ajuda, a melhor solução seria a psicoterapia. Já outras, com o passar dos anos, vão se tornando intolerantes ao stress e isto acaba prejudicando seu relacionamento familiar, social, amoroso e até no trabalho.

        A forma com nosso organismo  reage quimicamente também é  individual, mas apenas na intensidade e na duração de cada fase. A seqüência de eventos hormonais que ocorre em nosso  organismo  é similar na maioria das vezes.

Reação de alarme: a glândula hipófise secreta maior quantidade do hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) que age sobre as glândulas supra-renais. Estas passam a secretar mais hormônios glicocorticóides, como o cortisol. Este por sua vez inibe a síntese protéica e aumenta a quebra de proteínas nos músculos, ossos e nos tecidos linfáticos. Todo esse processo provoca um aumento do nível de aminoácidos no sangue, que servem ao fígado para a produção de glicose, aumentando assim o nível de açúcar no sangue. Essa fase é denominada fadiga adrenal aguda.

 Estágio de resistência: é o começo  da falência parcial da supra-renal. Muitas vezes os níveis de cortisol  estão normais, mas o indivíduo já é apresenta sintomas de Fadiga Crônica, é uma fase de transição.

Estágio de esgotamento: não cessando a fonte de estresse, as glândulas supra-renais se esgotam parcialmente e passam a produzir menos cortisol do que deveriam. Denomina-se  fadiga adrenal crônica.

O estresse e os nervos: Pensamentos de tensão agem sobre o sistema nervoso central, o sistema nervoso autônomo e o sistema endócrino levando à produção de substâncias mensageiras de estresse.

      Na pele, receptores especializados percebem estímulos produzidos nas suas células e os transmitem, por meio de fibras nervosas até os gânglios e a medula espinhal de onde são levados, por feixes nervosos, até o tálamo. Este os envia aos centros corticais superiores encarregados de processar as informações cognitivas.

       Por nervos descendentes a informação sensorial é transportada através da medula espinhal até os órgãos periféricos, que são acionados autonomamente. O resultado final são respostas como sudação, rubor, palidez, produção de gordura e outras.Esta sequência  leva a um desequilíbrio  hormonal que muitas vezes fica difícil  o tratamento  apenas com  psicoterapia, exercícios, alimentação adequada e descanso.

 

      Como perceberam idosos, adultos, jovens e criança estão  sujeitos a eventos estressantes e merecem se reequilibrar o hormonio e mente independente da idade que estiverem.  Não deixe de consultar seu médico,porque a prevenção ajuda.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!